CENIPA - Recomendação de Segurança
Recomendações de Segurança
a

Relatórios Finais Publicados | Total de registros: 4034

anterior 12 ... 25 26 27 28 29... 33 34 próxima »
NÚMERO DA RECOMENDAÇÃO DATA RECOMENDAÇÃO DE SEGURANÇA DESTINATÁRIO CLASSIFICAÇÃO MATRICULA TIPO SITUAÇÃO
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
210/D/0916/11/2009Que divulguem os ensinamentos colhidos com a presente investigação em seminários, cursos e eventos congêneres, ressaltando o risco decorrente da inobservância de aspectos básicos de planejamento, como a quantidade correta de combustível.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTIBXFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
212/D/0916/11/2009Que mantenha o leito da pista livre de vegetação para facilitar a desaceleração das aeronaves durante a corrida após o pouso.OPERADOR DA AERONAVEACIDENTEPRRATPOUSO LONGO***
212/D/0916/11/2009Que mantenha o leito da pista livre de vegetação para facilitar a desaceleração das aeronaves durante a corrida após o pouso.OPERADOR DA AERONAVEACIDENTEPRRATPOUSO LONGOAGUARDANDO RESPOSTA
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGO***
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGOAGUARDANDO RESPOSTA
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGOAGUARDANDO RESPOSTA
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGOAGUARDANDO RESPOSTA
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGOIMPLEMENTADA
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGOIMPLEMENTADA
213/D/0916/11/2009Promover a divulgação desse Relatório Final nas atividades educativas promovidas por esses Serviços Regionais, visando alertar a comunidade aeronáutica para os riscos resultantes de aproximações não estabilizadas, incentivando a execução do procedimento de arremetida em tais situações, assim como elevar o nível de percepção para os riscos inerentes à operação em pistas que estejam em condições precárias.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRATPOUSO LONGOIMPLEMENTADA
111/200927/10/2009Supervisionar os serviços de manutenção preventiva e corretiva realizados em sua aeronave a fim de impedir a instalação de peças não previstas pelo fabricante, a execução de manutenção por pessoal não habilitado, como também, manter a periodicidade das inspeções dentro dos prazos estabelecidos.AVIAÇÃO AGRÍCOLA LMCINCIDENTE GRAVEPRLMCPERDA DE CONTROLE NO SOLO***
112/200927/10/2009Adotar procedimentos a fim de estabelecer critérios para a execução de vôos ou operações não rotineiras nas suas aeronaves, que exijam maior grau de experiência por parte dos pilotos.AVIAÇÃO AGRÍCOLA LMCINCIDENTE GRAVEPRLMCPERDA DE CONTROLE NO SOLO***
113/200927/10/2009Envidar esforços na formação de um profissional com curso na área do SIPAER, a fim de elevar o nível de segurança operacional da empresa, e permitir o acompanhamento e a execução das normas estabelecidas por esse Sistema, a exemplo: a comunicação imediata de ocorrências aeronáuticas.AVIAÇÃO AGRÍCOLA LMCINCIDENTE GRAVEPRLMCPERDA DE CONTROLE NO SOLO***
176/A/0927/10/2009Aprimorar os mecanismos de fiscalização, de modo a assegurar que os operadores efetivamente comuniquem os casos de falhas recorrentes e de falhas, maus funcionamentos e defeitos, em conformidade com o RBHA 21.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
177/A/0927/10/2009Rever o processo de aceitação do Manual Geral de Manutenção (MGM) da TAM Linhas Aéreas, considerando o impacto que o agrupamento de panes monitoradas pelo sistema de qualidade, para correção durante a realização dos cheques maiores, pode ter sobre a segurança de vôo.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
178/A/0927/10/2009Aprimorar os mecanismos de fiscalização, de modo a assegurar que os operadores mantenham a rastreabilidade dos eventos, por meio de mecanismos adequados de registro e de backup.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
179/A/0927/10/2009Implementar ações de fiscalização no sentido de que sejam iniciados e/ou concluídos os processos de certificação de todos os aeroportos cuja certificação seja mandatória nos termos da regulamentação em vigor.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
180/A/0927/10/2009Avaliar a implantação de áreas de segurança de fim de pista (RESA), conforme previsto no RBAC 154/2009, nos aeródromos incluídos nos critérios estabelecidos pelo RBAC 139, comunicando à Organização da Aviação Civil Internacional as eventuais diferenças encontradas no Brasil em relação às normas e práticas recomendadas pelo Anexo 14 da Convenção sobre Aviação Civil Internacional.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
181/A/0927/10/2009Revisar os dispositivos da IAC 2328-0790, de modo incluir, na regulamentação pertinente, o requisito de submeter à aprovação prévia pela ANAC todo e qualquer projeto do qual decorra alteração ou restauração de pavimento de pista de pouso e decolagem (qualquer que seja a denominação de seu objeto, tais como: reforma, recapeamento, recuperação etc.) e que possa implicar em alteração nos coeficientes de atrito, de macrotextura, ou de qualquer outra característica que possa afetar o desempenho das aeronaves nas operações de pouso e decolagem.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
182/A/0927/10/2009Revisar a regulamentação vigente, em coordenação com o Departamento de Controle do Espaço Aéreo, observando as normas e práticas recomendadas emitidas pela Organização de Aviação Civil Internacional, de modo a estabelecer procedimentos, atribuições e responsabilidades quanto à suspensão e à liberação das operações de pouso e decolagens nos aeródromos em decorrência da impraticabilidade temporária ou da mudança das características físicas e/ou operacionais das pistas.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
183/A/0927/10/2009Aperfeiçoar os processos de regulação de modo a permitir a adoção, de imediato, de medidas preventivas referentes a situações conhecidas, evitando que a morosidade em tais processos diminua e eficiência da prevenção.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
184/A/0927/10/2009Promover ampla divulgação do conteúdo deste relatório, especialmente para seu público interno, para as empresas aéreas regidas pelo RBHA 121 e para as administrações aeroportuárias.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
185/D/0927/10/2009Adotar as providências cabíveis de modo a permitir o início dos processos de certificação dos aeroportos sob sua administração ainda não certificados e cuja certificação seja mandatória nos termos da regulamentação vigente.EMPRESA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIAACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
186/D/0927/10/2009Intensificar, nos Exercícios de Emergência Aeronáutica Completos (EXEAC), a necessidade de uma coordenação entre os órgãos de segurança pública e de defesa civil com as organizações do COMAER, de modo a assegurar aos investigadores do SIPAER as condições de atuação no local do acidente o mais rápido possível, sem prejuízo à segurança.EMPRESA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIAACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
187/D/0927/10/2009Aperfeiçoar as atividades educacionais previstas no Programa de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da empresa, de modo a garantir o entendimento, por parte do público interno da finalidade e das formas de utilização de cada uma das ferramentas de reporte voluntário do SIPAER, ressaltando as responsabilidades do Elo-SIPAER da empresa referentes ao tratamento das informações recebidas.EMPRESA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIAACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
188/D/0927/10/2009Aprimorar os processos de supervisão da execução de obras realizadas na área de movimento dos aeródromos sob sua administração, ou em outras áreas que possam impactar, de algum modo, as operações neles conduzidas, de modo a assegurar o atendimento a todos os requisitos do respectivo projeto aprovado.EMPRESA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIAACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
189/D/0927/10/2009Submeter à aprovação prévia da ANAC todo e qualquer projeto que implique em alteração ou restauração de pavimento de pista de pouso e decolagem (qualquer que seja a denominação de seu objeto, tais como: reforma, recapeamento, recuperação etc.) e que possa implicar em alteração nos coeficientes de atrito, de macrotextura, ou de qualquer outra característica que possa afetar o desempenho das aeronaves nas operações de pouso e decolagem.EMPRESA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIAACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
190/A/0927/10/2009Revisar os processos de controle dos registros de manutenção com o objetivo de assegurar a necessária rastreabilidade dos eventos.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
191/A/0927/10/2009Revisar os processos de controle dos registros de manutenção com o objetivo de assegurar o adequado gerenciamento do risco associado às combinações de panes agrupadas para monitoramento pelo sistema de qualidade, nos casos previstos no item 4.3.1 do MGM.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
192/A/0927/10/2009Revisar os procedimentos e os controles estabelecidos para os registros efetuados nas fichas RTA (Relatório Técnico da Aeronave) com o objetivo de impedir os erros de interpretação e/ou de entendimento decorrentes de ilegibilidade, rasuras, falta de padronização quanto ao idioma utilizado e falta de dados.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
193/D/0927/10/2009Estabelecer mecanismos que assegurem a efetiva comunicação das falhas, maus funcionamentos e defeitos à ANAC prevista no RBHA 121.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
194/D/0927/10/2009Aperfeiçoar a ferramenta de reporte voluntário através da rede corporativa de computadores da empresa, de modo que a identificação do relator deixe de ser um campo obrigatório do sistema, evitando com isso a inibição da participação dos funcionários nos processos de prevenção de acidentes.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
195/D/0927/10/2009Aperfeiçoar as atividades educacionais previstas no Programa de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da empresa, de modo a garantir o entendimento, por parte do público interno, da finalidade e das formas de utilização de cada uma das ferramentas de reporte voluntário do SIPAER, ressaltando as responsabilidades do Elo-SIPAER da empresa referentes ao tratamento das informações recebidas.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
196/A/0927/10/2009Reiterar, junto aos pilotos, a importância de se observar a fraseologia prevista para as comunicações com os órgãos de controle de tráfego aéreo, especialmente no que concerne ao fornecimento das informações precisas referentes ao número de pessoas a bordo, autonomia e aeródromo de alternativa.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
197/A/0927/10/2009Reiterar a importância da utilização do monitoramento dos dados de vôo na detecção e acompanhamento de desvios de padronização, assegurando a implementação das ações preventivas necessárias (tais como treinamento adicional, revisão de procedimentos etc.), assim como o fornecimento do apropriado *feedback* aos tripulantes.TAM LINHAS AÉREASACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
198/D/0927/10/2009Estudar a conveniência de emitir uma orientação específica quanto ao alcance da aplicabilidade dos dispositivos que fazem referência a Fatores Humanos no contexto da certificação de projetos e da aeronavegabilidade continuada contemplados no Anexo 8 da Convenção sobre Aviação Civil Internacional.ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL (ICAO)ACIDENTEPRMBKPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOIMPLEMENTADA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOIMPLEMENTADA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOIMPLEMENTADA
172/D/0916/10/2009Divulgar este relatório aos operadores de asas rotativas de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos decorrentes deste acidente, com destaque para a importância de evitar as circunstâncias que favorecem a perda de efetividade do rotor de cauda.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRHFBPERDA DE CONTROLE EM VOOIMPLEMENTADA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULOAGUARDANDO RESPOSTA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULOAGUARDANDO RESPOSTA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULOAGUARDANDO RESPOSTA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULOIMPLEMENTADA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULOIMPLEMENTADA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULOIMPLEMENTADA
173/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, realçando que, sempre que as características do produto a ser aplicado permitam, existem vantagens na manutenção de uma altura sobre a plantação igual à metade da envergadura da aeronave.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTUKACOLISÃO EM VOO COM OBSTÁCULO***
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLOAGUARDANDO RESPOSTA
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLOAGUARDANDO RESPOSTA
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLOAGUARDANDO RESPOSTA
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
174/D/0916/10/2009Que relembrem os operadores de suas regiões sobre os riscos associados às pistas não registradas e os prejuízos causados ao julgamento pelo fenômeno chamado *regressite*.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPRRAFPERDA DE CONTROLE NO SOLO***
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
175/D/0916/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo destacar a importância do cotejamento da indicação dos liquidômetros com o combustível existente nos tanques e, no caso de falha de motor por falta de combustível nas aeronaves EMB 720D e similares, a necessidade de aguardar pelo menos 10 segundos após a troca de tanques pela seletora de combustível para o enchimento das linhas de combustível.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTVNBFALHA DO MOTOR EM VOO***
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
169/D/0909/10/2009Divulgar este Relatório às escolas de aviação, aeroclubes, empresas operadoras de aeronaves registradas como SAE, TPN, TPX e TPP de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nesta investigação, com ênfase à priorização de tarefas em emergências críticas, em especial, falha de motor logo após a decolagem em aeronave monomotor.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTKEZFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
166/A/200909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
166/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
166/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
166/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
166/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
166/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
166/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o incremento de risco que decorre do uso em aeronaves de combustível não apropriado.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEDPFALHA DO MOTOR EM VOO***
167/D/0909/10/2009Que demarque as cabeceiras da pista de pouso, de forma a facilitar aos pilotos a identificação, a partir do ar, do início da pista em uso. A forma de demarcação não poderá se constituir em obstáculo para as aeronaves.PREFEITURA MUNICIPAL DE TRINDADEACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAAGUARDANDO RESPOSTA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAAGUARDANDO RESPOSTA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAAGUARDANDO RESPOSTA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAAGUARDANDO RESPOSTA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAIMPLEMENTADA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAIMPLEMENTADA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTAIMPLEMENTADA
168/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco inerente às ilusões de ótica, com destaque para a semelhança entre o leito da pista e seus arredores.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRLRPOUSO ANTES DA PISTA***
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOAGUARDANDO RESPOSTA
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOAGUARDANDO RESPOSTA
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOAGUARDANDO RESPOSTA
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOIMPLEMENTADA
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOIMPLEMENTADA
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOIMPLEMENTADA
170/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo disseminar os ensinamentos adquiridos através do mesmo, com destaque para o risco decorrente de aproximações não estabilizadas.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPREFJPOUSO BRUSCOIMPLEMENTADA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLOAGUARDANDO RESPOSTA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLOAGUARDANDO RESPOSTA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLOAGUARDANDO RESPOSTA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLOIMPLEMENTADA
171/D/0909/10/2009Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto a operadores e pilotos, tendo por objetivo realçar o risco que a presença de bancos de areia, troncos, cabos e outros obstáculos impõem às operações das aeronaves anfíbias em meio aquático.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTODPPERDA DE CONTROLE NO SOLO***
149/A/0930/09/20091. Realizar auditoria na empresa Hora Manutenção LTDA, no sentido de verificar o atendimento, por parte da empresa, aos requisitos de certificação estabelecidos na legislação aeronáutica, no que se refere à qualidade dos serviços de manutenção realizados e aos procedimentos de controle e atualização de publicações técnicas.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA DE FORMA ALTERNATIVA
150/A/0930/09/20092.Reavaliar os procedimentos de auditoria em empresas de manutenção aeronáutica, a fim de verificar possíveis lacunas nos processos de fiscalização do controle de publicações técnicas dessas empresas.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.QUARTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.TERCEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOAGUARDANDO RESPOSTA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.SEXTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.SÉTIMO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.QUINTO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
151/A/0930/09/20091. Promover a divulgação deste Acidente Aeronáutico junto às oficinas de sua área de atuação, realçando a importância da atualização das publicações técnicas emitidas pelos fabricantes e o correto cumprimento das mesmas.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTRHLFALHA DO MOTOR EM VOOIMPLEMENTADA
156/D/0929/09/2009Realizar Auditoria Técnica na oficina Gaivota Peças e Manutenção de Aeronaves Ltda. e na oficina Quick Aviação, a fim de verificar se as atividades relativas aos serviços de manutenção estão de acordo com os requisitos dos regulamentos.AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVILACIDENTEPTEXUCOM HÉLICEIMPLEMENTADA
157/D/0929/09/2009Identificar os conjunto de hélice de PN HC-C2YK-1BF que realizaram revisão geral na oficina Gaivota Peças e Manutenção de Aeronaves Ltda, a partir de janeiro de 2005, a fim de contactar os respectivos proprietários e proceder a verificação do PN das pás de hélice aplicadas, em conformidade com o SB HC-61-101D e a AD 2002-09-08.GAIVOTA PEÇAS E MNTACIDENTEPTEXUCOM HÉLICEAGUARDANDO RESPOSTA
158/D/0929/09/2009Promover uma reciclagem do corpo de inspetores, alertando para os procedimentos de acompanhamento de serviços de manutenção e de revisão, definindo métodos e rotinas de trabalho, a fim de aprimorar a qualidade das inspeções e aumentar os níveis de segurança operacional.GAIVOTA PEÇAS E MNTACIDENTEPTEXUCOM HÉLICEAGUARDANDO RESPOSTA
159/D/0929/09/2009Realizar Auditoria Segurança Operacional na oficina Gaivota Peças e Manutenção de Aeronaves Ltda. e na oficina Quick Aviação, visando eliminar ou mitigar fatores de risco. Segundo Ofício 346/INV de 02/152/09 o Certificado de Homologação de Empresa (CHE) da Gaivota Peças e Mnt de Anv foi revogado pela ANAC e quanto a oficina Quik Aviação fica sob responsabilidade do SERIPA 6, pois esta se encontra na cidade de Goiânia-GO.PRIMEIRO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEXUCOM HÉLICEIMPLEMENTADA
160/B/0929/09/2009Divulgar este Relatório às empresas de manutenção de aeronaves e às empresas de manutenção de hélice e componentes de aviação de suas respectivas áreas de jurisdição, a fim de disseminar os ensinamentos adquiridos nessa investigação.SEGUNDO SERVIÇO REGIONAL DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOSACIDENTEPTEXUCOM HÉLICEAGUARDANDO RESPOSTA